6 de dez de 2008

INCLUSÃO DA INFORMÁTICA NO AMBITO ESCOLAR EM NOSSA REALIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
CURSO PEDAGOGIA
EDUCAÇÃO E TECNOLOGIAS CONTEMPORANEAS
DOCENTE: MENANDRO RAMOS
DISCENTE: MARISE DA SILVA URBANO LIMA




INCLUSÃO DA INFORMÁTICA NO AMBITO ESCOLAR EM NOSSA REALIDADE





Muito é comentado socialmente acerca da necessidade da inclusão digital no âmbito escolar. Acredita-se que tendo o mínimo domínio da informática a escola – o professor – poderá trabalhar melhor com seus alunos (as). Mas algo deve ser revisto, pois enquanto se discute a inclusão, parecem esquecer de muitas das necessidades básicas das quais uma escola precisa para seu funcionamento e de como o nosso país se encontra quanto ao quesito educação.

Meu objetivo ao elaborar esse texto não é de forma alguma dizer que não se deve incentivar, investir na inclusão digital, mas sim, abrir espaço para reflexos da nossa realidade e em cima disso perceber como melhor adequar a informatização à nossa realidade brasileira.

NOSSA REALIDADE

No Brasil a população chegou a, segundo dados do IBGE em 2007, 183.987.291, ou seja, aproximadamente 184.000.000, mas numa reportagem deste ano – 2008 – consta a informação de que há 14 milhões de analfabetos, sendo que 76% estão acima de 40 anos. A maioria dos analfabetos estão localizados na região do Nordeste, mesmo tendo o menor percentual dentre os últimos 15 anos ainda assim o Nordeste é o campeão do analfabetismo chegando “a quase o dobro da média nacional e quase o quádruplo do apurado no Sul.”

Há informações de que 194 municípios do Brasil estão sem merenda escolar, e deste número elevado, 13 encontram-se na Bahia. “Em Queimadas (BA), o problema se repete há quatro anos”, “Os municípios de Jandaíra, Lajedão, Pedrão, Ribeiro do Amparo, Queimadas e Gentio do Ouro foram cortados do programa nacional de alimentação”. Como podemos notar, nosso Estado está incluso no descaso com a educação pública, em muitas localidades.

“No Brasil, existem hoje 600 mil crianças sem estudar, trabalhando ou simplesmente fazendo nada em casa”. Tal dado assusta, quando acreditamos que a escola chega para todos (as). Esse número revela o qual a sociedade brasileira ainda engatinha para um desenvolvimento pleno, pois como pensar em “primeiro mundo”, “país desenvolvido” se um número significativo da população em pleno século XXI, está sem escolas?

NOSSO DESEJO

Com base em tanta modificação, nada mais incoerente permanecermos com a metodologia do tempo dos nossos avós, é necessária a mudança na escola, pois os indivíduos que nela estão inseridos constroem a sociedade e esta se modifica diariamente, como podemos perceber pela fala de Medel , “Nenhuma sociedade está indiferente à entrada das tecnologias da informação e comunicação (TIC) no cotidiano de seus cidadãos”. 

Portanto, a educação institucionalizada deve rever seus antigos métodos de ensino e nada mais justo do que implantarmos a informatização nas escolas para que as crianças tenham contato direto com tal instrumento.

Segundo Medel, é preciso que nos dias atuais haja um novo procedimento metodológico “no sentido de romper com a lineiralidade de aprendizagem”, e para isso nada mais adequado do que utilizar ferramentas “tais como o uso da televisão, do vídeo, do DVD, do telefone, do rádio, do computador e Internet, entre outros”. 

A implantação da informática na escola requer algumas modificações, tais como Medel explana:

 “(...) dispor de um currículo flexível, multicultural, que relacione seus conteúdos, objetivos e estratégias às questões culturais e tecnológicas, de acordo com as necessidades que surgem ao longo da execução das atividades”.

E, infelizmente muitas das nossas escolas não estão preparadas para tais mudanças, já que pensar em mudança escolar é partir para a formação dos (as) educadores (as), que há lacunas irreparáveis, como por exemplo, poucas disciplinas que estejam ligadas à realidade social.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Acreditamos veemente na importância da inclusão digital e, de como tal movimento trará retornos positivos para nossa sociedade, caso seja administrada de forma correta. Não se pode apenas instalar os computadores nas escolas, mas, dar o suporte necessário para uso, aprendizagem, manutenção e critica de tal equipamento. 

Como foi dito não há possibilidades de incluir só por incluir, assim como, permitir que ainda hoje, pleno século XXI haja que municípios sem uma das necessidades básicas, que é alimentação escolar, assim como existe um número significativo de pessoas sem escolarização e outras tantas escolarizadas precariamente. Devemos rever nosso posicionamento quanto à educação, avaliarmos as condições em que as escolas públicas se encontram e assim buscar vias mais reais de minimizar as mazelas que atingem a educação do nosso país, e paralelo, a inclusão digital.




REFERENCIA
 
ANALFABETISMO FUNCIONAL. Disponível em: Acesso em: 20/11/2008
CRIANÇAS SEM ESCOLA. Disponível em: Acesso em: 20/11/2008
ESCOLA SEM ESTRUTURA BÁSICA. Disponível em: http://dftv.globo.com/Jornalismo/DFTV/0,,MUL631952-10039,00-ESCOLA+SEM+ESTRUTURA+BASICA.html > Acesso em: 20/11/2008
ESCOLAS SEM MERENDA. Disponível em: (http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL835848-5598,00.html) Acesso em: 20/11/2008
MEDEL,Cássia Ravena Mulin de Assis. Escola & Tecnologia Educacional, ____: NET, Cantagalo – RJ.
MUNICÍPIOS BAIANOS SEM MERENDA ESCOLAR. Disponível em: Acesso em: 20/11/2008
NÚMERO DE ANALFABETOS ADULTOS É GRANDE NO BRASIL. Disponível em: Acesso em: 20/11/2008
____________. Disponível em: Acesso em: 20/11/2008

3 de dez de 2008



algumas fotos
As férias estão chegando... Hora de curtir... Sair da faculdade e respirar...

hauhauhauhauhau

Amo estudar, mas precisamos respirar um pouco.


Bjsss